Menos congestionamentos, menos estresse, menos sedentarismo, menos danos ao meio ambiente.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Bikes com problemas nas barcas e no metrô


Entrar com bicicletas em transportes coletivos não tem sido fácil, pelo menos no Rio de Janeiro. Na barca Rio-Niterói, os ciclistas precisam pagar duas passagens: a própria e outra para a bicicleta. Já no metrô, as bikes são permitidas apenas nos finais da semana. De segunda à sexta, são proibidas.
Persistentes, muitos ciclistas encontram uma saída: as bicicletas dobráveis - bem mais caras que as comuns(em torno de R$ 4 mil), porém superpráticas e funcionais. Afinal, muita gente opta por usar o transporte coletivo num trecho e em seguida subir na bike para completar o trajeto até o trabalho.
Pasmem! Mesmo com as dobráveis, os seguranças ainda podem criar caso. É o que conta a arquiteta Lourdes Zunino: "Estava segurando a bicicleta dobrável e o segurança não me deixou entrar no metrô. Contrariada, abri a bicicleta e segui até a estação mais próxima. Desta vez, embarquei tranquilamente. Não há critério".
Neste caso, parece que estamos à mercê do humor (ou do mau humor) de seguranças sem treinamento adequado.




Um comentário:

Carolina Teixeira disse...

Um absurdo realmente. Afinal de contas, integração é uma palavra que não se encontra no Brasil, tanto nos transportes, quanto em outras esferas. Espero que este pensamento comece a mudar, pois o monopólio é a pior coisa que pode existir.